Pesquisa Personalizada


Receba as atualizações de Astronomia Hoje por e-mail:

Ouça Temas da Bíblia Agora:

Estude a Palavra de Deus Agora!

Estude a Palavra de Deus Agora!
Cursos e Estudos Bíblicos Gratuítos

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Superburaco negro põe em xeque teoria da evolução galática


 Um superburaco negro em uma galáxia descoberta recentemente está intrigando os astrônomos: ele é 350 milhões de vezes maior que o Sol. Esse tamanho colossal gera dúvidas sobre as teorias aceitas atualmente para explicar a evolução das galáxias, segundo a Sociedade Astronômica Real. O buraco negro não se encaixa nas teorias atuais porque tem uma massa muito maior do que a galáxia em que está situado comportaria - de acordo com as teorias aceitas atualmente. Segundo os astrônomos, o superburaco negro é 30 vezes maior do que se esperaria para a galáxia SAGE0536AGN. "Galáxias têm uma massa grande, assim como seus buracos negros. Mas este é realmente grande demais - não deveria ser possível que fosse desse tamanho", diz Jacco van Loon, astrofísico da Universidade Keele e autor do estudo. A galáxia tem cerca de 9 bilhões de anos de idade e fica a 2 bilhões de anos-luz da Terra. Ela foi descoberta recentemente por meio de um telescópio espacial da Nasa. Como a galáxia foi descoberta sem querer, ainda precisa ser estudada em detalhes, explica a Sociedade Astronômica Real. Isso permitirá concluir se a SAGE0536AGN é um fenômeno excepcional ou uma nova classe de galáxias.[Fonte: BBCBrasil]

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Com imensas ondas, estrela ‘bizarra’ pode abrigar estrutura alienígena gigante


Atividade poderia ser uma 'esfera de Dyson'. (Reprodução)
Localizada a 1.480 anos-luz de distância da Terra, a estrela KIC 84622852 está intrigando cientistas norte-americanos. O astro possui uma quantidade de ondas muito maior do que qualquer estrela comum, o que poderia ser efeito de uma enorme estrutura alienígena instalada nele. 

“É muito estranho”, diz a pós-doutora Tabetha Boyajian, pesquisadora da Universidade de Yale, em entrevista ao The Atlantic. “Nós nunca vimos nada como essa estrela. Pensávamos que poderiam ser dados corrompidos ou até o movimento da cápsula [do telescópio], mas essas possibilidades foram checadas.” 
Descoberta pelo telescópio espacial Kepler, ela é monitorada pelo observatório desde 2009, mas foi em 2011 que Tabetha e sua equipe – financiada por um site colaborativo – descobriram as atividades “bizarras” da KIC 84622852. 


“Nós concluímos que o cenário mais provável com as informações que temos seria a passagem de uma familía de exocometas fragmentados, todos eles oriundos do mesmo evento”, escreveu o grupo de pesquisadores no relatório divulgado recentemente. 

Mas há quem levante a possibilidade de tudo isso ser, na verdade, fortes indícios de atividade alienígena. “Aliens devem ser sempre a última hipótese a ser considerada, mas isso que estamos vendo parece muito algo que você espera que uma civilização extraterrestre construiria”, aponta o astronomo Jason Wright, da Universidade Penn State, à mesma publicação. 

Para Wright, a atividade vista na KIC 84622852 lembra bastante a teoria da “esfera de Dyson”, proposta pelo físico Freeman Dyson, ainda em 1960. Ele especulou uma megaestrutura formada por um verdadeiro “enxame” de satélites em torno de uma estrela, a fim de capturar energia proveniente daquele astro. 
O astrônomo atualmente trabalha com a Dra. Boyajian no Seti Institute (Instituto de Pesquisa da Vida Extraterrestre, em inglês), em Berkeley, na Califórnia. Juntos, eles defendem que as pesquisas na estrela sejam realizadas também por um telescópio de rádio (mais especificamente o Green Bank, em West Virginia, que tem mais de 100 metros), para tentar capturar alguma atividade que emita ondas com som. 

“A ideia por trás da nossa pesquisa é que, se uma galáxia inteira foi colonizada por uma civilização que viaja pelo espaço, a energia produzida por essa civilização poderia ser detectada em ondas infravermelhas médias”, completa. “É o mesmo princípio que faz os nossos computadores a radiar calor quando está ligado.” [Fonte: Yahoo]

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Um buraco enorme acabou de aparecer no sol

Um enorme buraco coronal foi recentemente descoberto no sol pelo Solar Dynamics Observatory da NASA. A região é do tamanho de 50 Terras e está expelindo material para o espaço em velocidades tremendas. Pode parecer terrível, mas os astrônomos dizem que não há nada para se preocupar.

A NASA diz que estes buracos são áreas magneticamente expostas que geram ventos solares de alta velocidade. Estas regiões escuras e de baixa densidade – na camada mais externa do sol – contêm pouco material solar, têm temperaturas mais baixas e, portanto, parecem muito mais escuras do que os seus arredores. Buracos coronais são normais, aparecendo em diferentes lugares e com mais frequência em momentos diferentes durante o ciclo de atividade do sol.
À luz do fenômeno, o NOAA – Centro de Previsão do Clima Espacial – previu uma tempestade “G1-Menor” de 14 a 16 de outubro. Este tipo de tempestade é relativamente inofensiva, apesar de poder perturbar as comunicações entre satélites e transmissões de rádio de alta altitude. O buraco coronal produziu uma tempestade geomagnética perto da Terra que resultou em várias noites de aurora. [Fonte: Hypescience]

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Se sentir insignifante perto do Universo faz de você uma pessoa melhor



O que somos nós, seres humanos, diante de todo o Universo? Qual a nossa relevância em meio a um céu repleto de estrelas? Se sua resposta é de que a humanidade é insignificante nesses casos, então você é uma pessoa melhor.

Quem diz isso é uma pesquisa comandada pela American Psychological Association, dos Estados Unidos. Segundo o estudo, as pessoas que são tomadas por esse sentimento de insignificância perante o Universo são mais educadas e generosas.

“Nossa investigação indica que o sentimento, embora muitas vezes efêmero e difícil de descrever, possui uma função social vital para as pessoas. Por conta disso a criação desse tipo de estudo se faz completamente necessário”, afirmou o líder da pesquisa, Paul Piff.

A pesquisa indica que o principal fator levado em conta é a diminuição do próprio ego. Segundo o estudo, pessoas que acreditam serem insignificantes perante o Universo têm mais noção no sentido de abrirem mão do interesse próprio em nome de melhores condições para os outros.

Para realizar a pesquisa, Piff e sua equipe submeteram voluntários a diversas imagens relacionadas diretamente ao planeta Terra. Na sequência, questionaram as pessoas de modo a medir seu comportamento ético e generosidade.

“Quando as pessoas vivenciam situação desse tipo, elas realmente querem compartilhar aquela experiência com outras pessoas, sugerindo que o sentimento em questão tem um componente particularmente viral”, explica Piff.

Ou seja, segundo o coordenador do estudo, é possível que ações positivas contaminem o mundo. Assim sendo, uma boa ação isolada nunca seria isolada a partir do momento que outras pessoas, participando dela ou não, teriam a chance de fazer algo melhor em suas vidas.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Mais de 11 mil fotografias raríssimas da Nasa são publicadas na internet

Mais de 11 mil fotos raríssimas da Nasa, das viagens do homem à Lua, foram publicadas na internet. O acervo recebeu o nome de projeto Arquivo Apollo.
As fotos são fruto do trabalho de um americano fanático por computadores e pelo espaço. O nome dele é Kipp Teague e, há 16 anos, ele vem colecionando fotos feitas pela Nasa, a Agência Espacial Americana, durante as missões tripuladas à Lua, entre 1968 e 1972. Apollo foi o nome que a Masa deu a essas missões. Clique aqui para ver as fotos.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Teoria da evolução galática é posta em xeque após descoberta de superburaco negro

A descoberta de um superburaco negro em uma nova galáxia esta intrigando os cientistas. O motivo da intriga é o tamanho, 350 milhões de vezes maior do que o Sol.
 Devido ao tamanho do buraco negro, as teorias que explicam a evolução das galáxias, que atualmente é aceita, acaba colocada em dúvida, de acordo com a Sociedade Astronômica Real.
O colossal buraco negro não consegue se encaixar nas teorias pois tem uma massa muito maior do que a galáxia em que está situado seria capaz de suportar, segundo as teorias que atualmente são aceitas.
De acordo com os astrônomos, o tamanho do superburaco negro é 30 vezes maior do que era esperado pela galáxia SAGE0536AGN.
"Galáxias têm uma massa grande, assim como seus buracos negros. Mas este é realmente grande demais - não deveria ser possível que fosse desse tamanho", disse o astrofísico da Universidade Keele e autor do estudo, Jacco van Loon.
A galáxia, que foi recentemente descoberta através de um telescópio especial da Nasa, tem cerca de 9 bilhões de anos de idade e fica a uma distância de 2 bilhões de anos-luz da Terra.
Todas as dúvidas geradas, será fruto de um estudo que pretende concluir se a SAGE0536AGN é uma nova classe de galáxias ou de se trata de um fenômeno excepcional.[Fonte: Jornal do Brasil]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Pesquisa personalizada

Livro Gratuito em PDF - Baixe Agora!